sexta-feira, 24 de outubro de 2008

Jornalistas paulistas avistam e fotografam OVNI na Imigrantes‏

Só pra variar, a luz alaranjada 'passeando' sobre Sampa!




Quinta-Feira, 23 de Outubro de 2008, 07:05

Equipe de ‘A Tribuna‘ avista na estrada objeto não-identificado
Da Redação

Em razão do grande interesse pela reportagem publicada no jornal e veiculada no site, A Tribuna decidiu abrir a reportagem e permitir o acesso não apenas pelos assinantes, mas também pelos internautas em geral.

RONALDO ABREU VAIO ENVIADO ESPECIAL A SÃO PAULO

Era para ser uma noite de trabalho como outra qualquer. Mas quis o destino que a madrugada de ontem fosse muito, muito especial. Voltávamos de São Paulo, o motorista Ronaldo Cardoso Oliveira, o repórter-fotográfico Luiz Fernando Menezes e eu, a alma lavada após a cobertura do show de abertura do Tim Festival, com Sonny Rollins, mito do jazz norte-americano. Era por volta de 0h30.
Vínhamos conversando e brincando no carro. Na Rodovia dos Imigrantes, pouco antes de chegarmos ao pedágio, Luiz Fernando reparou numa luz laranja movendo-se no céu, em paralelo ao nosso carro, do lado direito. Em tom de galhofa, chegou a dizer: "Olha o OVNI aí". Observei, enquanto o meu xará Ronaldo contorcia-se para ver, enquanto dirigia. Logo, saiu com o veredicto: "É um balão". Podia ser. Parece que a estranha luz não gostou e, nesse momento, aumentou paulatinamente a velocidade.
Naquele instante, como se diz, "caiu a ficha". PÁRA "Pára o carro!", gritamos Luiz Fernando e eu quase ao mesmo tempo. Com sua Canon 40D munida de uma lente 70x200, com um duplicador 1x4 (ufa!), Luiz Fernando fez as primeiras fotos e continuamos a jornada, sem perder a luz de vista. De repente, como se quisesse chamar mais ainda a nossa atenção, a luz aumentou ligeiramente de tamanho. "Pára o carro!", gritamos novamente Luiz e eu, cada um mais rápido ­ e alto ­ do que o outro.
E foi então que aconteceu a mais arrepiante coincidência da noite: no momento exato em que Luiz Fernando empunhou a câmera para a segunda bateria de fotos, a luz estancou, como se soubesse que seria ­ e quisesse ­ ser fotografada.
Terminamos as fotos e continuamos. Passamos o pedágio e o objeto começou a se mover no sentido inverso ao do carro. Aindao observamos alguns instantes, até sumir na distância. Ainda no carro, ao aumentarmos a foto, o estupor: no centro da luz, havia uma formação aparentemente sólida, sugerindo um objeto físico, real. "
Agora, ficou comprovado para mim que objetos voadores não-identificados existem", sentenciou Luiz Fernando, ao relembrar o episódio.
ESQUISITO
Mas talvez tenha sido o meu xará Ronaldo quem mais se aproximou do que sentimos naquele momento único, na Serra do Mar. "Deu um negócio esquisito aqui dentro".

Leia também:
Pepe Chaves
editor



2 comentários:

luiz felipe disse...

meu irmao viu a mesma coisa nessa terca na imigrantes a noite!

léozinha disse...

Bom dia fiquei muito feliz por ver seu relado..já havia recebido emails sobre essa aparição, só que ninguem acreditou, e vcs foram os escolhidos, para essa missão parabéns pois creio que são muito abençoados veja o video no you tube bj

http://www.orkut.com.br/Main#FavoriteVideoView.aspx?uid=16330196147388162073&ad=1224000828